Friday, November 18, 2011

ENTREVISTA CON EL DIBUJANTE BRASILEÑO GILMAR FRAGA Por Francisco Puñal Suárez

Tu imaginación es desbordante...¿Desde niño eras así?¿Leías novelas de Julio Verne? ¿Cómo se desarrolla en ti esa creatividad?
Minha formação é adversa, quando muito pequeno comcerca de 1 ano sofri um acidente que me tirou em torno de 50% da visão do olhoesquerdo, então como forma de tratamento fisioterápico minha mãe me levava àcapital duas vezes por semana para fazer exercícios e estimular a visão. Tapavao olho bom e com o esquerdo tinha que desenhar as imagens de personagens decomics que eram projetados sobre a folha branca. Desde muito cedo como forma deestimular a visão meus pais me davam comics e revistas para pequenos, creio queesta sede de visualidade foi fundamental para desenvolver o meu lado criativo.Assim, o desenho se tornou uma brincadeira que me possibilitou mergulhar numuniverso particular. Julio Verne, eu só fui ler mais tarde. Um dos principaisautores que me influenciaram foi Monteiro Lobato, escritor brasileiro de grandepopularidade que escrevia para pequenos.
Bono

 Diseñador gráfico, ilustradorde libros, caricaturista, dibujante de comics...es un todo terreno del dibujo..
Bom, o que acontece é  que não consigo fecharquestão em torno de uma só vertente do desenho. Ficaria chateado se tivesse quedesenhar sempre do mesmo jeito, com as mesmas ferramentas ou se tivesse quefazer sempre a mesma coisa. Gosto destes caminhos e desafios que o universoamplo da ilustração me dá. Às vezes, quando estou envolvido desenhando  deum livro, fico refletindo sobre a caricatura, ou como vou resolver tecnicamenteuma ilustração ou comic. Este processo de busca, de brincadeira de desenhar é oque me impulsiona.
¿Qué importancia tuvo la  formación y los estudiosde arte para ti?
Salvo alguns cursos de desenho que fiz posso dizer quea minha formação foi quase toda autodidata. Em virtude do acidente que sofriquando pequeno, muito cedo tive contato com materiais de desenho e pintura.Meus pais tinham uma pequena loja onde vendiam de tudo, de tecidos a materialescolar. Então como sobravam muitas embalagens de camisa (na época eram todasem papelão) eu usava estes materiais como suporte pra desenhar. Depois, naadolescência, fiz um curso na Escola Nacional de Desenho em Porto Alegre..
João Gilberto


¿Cómo te iniciaste en este arte de la caricatura?
Creio que foi na escola, pra fazer amigos, eu faziacaricaturas dos professores, colegas.  Esta é uma das características dohumor, é preciso haver cumplicidade para que haja o riso. E isto de certa formaé o que busco até hoje no meu trabalho, a cumplicidade, um convite para oleitor "decifrar" o personagem proposto pelo meu desenho.
 Dónde y cuándo comenzaste a publicar tus dibujos?
Comecei a publicar primeiramente em um jornalzinho daescola em um concurso de desenho. Depois aos 16 comecei a fazer caricaturas eilustrações para um jornal da minha cidade que circulava somente asquartas-feiras. O que passa é que este jornal era rodado na capital, na mesmaoficina de um jornal maior chamado RS, que era de propriedade de um grandejornalista do sul do país. Assim o  produtor gráfico viu meu trabalho nasrotativas e levou ao chefe de redação. Na semana seguinte eu estava contratadoe com minha primeira caricatura na capa do jornal.  Passei depois, por editoras,e sindicatos até chegar ao jornal Zero Hora, que é o quarto maior jornal doBrasil, onde estou a 15 anos.
Se dice que la caricatura fisonómica o  personales el género más difícil, porque ¿Cómo captar el "alma" delpersonaje?
 Ponme el ejemplo de cómo hicistela de Ronaldo cuelga las botas...
A caricatura pra mim nasce principalmente dainvestigação da personalidade da "vítima". É preciso conhecer opersonagem, sintetizar os traços básicos e depois desmontar esta figura,reduzir o personagem a essência, até que a forma, o volume e o olhar estejamrepresentados de forma satisfatória pela linha. Como disse acima, gosto depropor um jogo, uma brincadeira com o leitor/expectador, de ele montar oretrato mental do caricaturizado através das pistas ou das formas desconstruídasque vou sugerindo.
No caso de Ronaldo, este é um grande personagem, jáhavia desenhado muitas vezes, e como é um personagem mundialmente conhecido,existe aí um terreno muito amplo para explorar. Lembro que na época eu queriaabordar vários aspectos desta despedida do jogador. O seu problema de peso (abarriga proeminente), as sucessivas lesões, e o fato de um dos grandesartilheiros da história do futebol do Brasil e mundial estar encerrando umacarreira vitoriosa.
Usei uma figura, de linguagem,  para transformarem uma metáfora gráfica, muito popular no Brasil, "de pendurar aschuterias", para quem está se aposentando, ou saindo do jogo.
Madona

¿Cómo "captas" la expresión delcaricaturizado? ¿En qué aspectos del rostro te fijas más?
 Na realidade tento capturar o todo da expressão,pois acredito que faço uma caricatura mais psicológica, mais evocativa do querepresentativa. Tento sintetizar, ao máximo a figura através de um conjunto delinhas, pois sempre parto da linha pra construir o desenho. Sempre que possoevito este caminho fácil, de exagerar o nariz e a boca de um personagem deforma gratuita. Gosto de analisar a expressão do personagem, a postura corporale principalmente os olhos, que dizem, são as janelas da alma. Claro que quantomais conhecido o personagem tenho mais licença poética para desconstruir afigura.
¿Qué otros aspectos de la realidad te interesan dibujaren tus ilustraciones editoriales?
  Quanto a questão editorial,gosto de desenhar de tudo, da pequena nota sobre a venda de uma plataformamarítima na Inglaterra, a uma coluna fixa que ilustro a quase 10 anos sobremúsica erudita. Gosto muito deste universo da literatura e da música, em geralsano grandes personagens com um olhar propício para a caricatura. Outra coisaque gosto de desenhar são os editoriais que tratam sobre a realidade dapolítica e economia brasileira e mundial. Sempre tento para fisgar o olhar doleitor, criar elementos "surreais" que tem a função de perturbar a"realidade destes textos" e incentivar a leitura da página.
¿Por qué es importante el humor y la sátira en lasociedad?
  Através do humor e da sátira,podemos refletir o mundo que vivemos.  O humor serve para, de uma certaforma, refletir sobre a realidade com um discurso que não é textual, e sim umdiálogo imagético mais direto que busca a cumplicidade da audiência pra julgaros costumes e "matar" moralmente os atores sociais.
Vargas Llosa

¿Has tenido la oportunidad de exponer tu obra en otrospaíses?
Bueno nunca en una individual, pero sí en salones ecoletivas em muitos lugares.
Espanha, Portugal, Croácia, Iuguslávia, Áustria
¿Dónde publicas actualmente?
Publico regularmente en el periódico Zero Hora de PortoAlegre, en el sul de Brasil. Dibujo a las terças y sábados una coluna fixa hace10 años y en el caderno de Cultura la coluna Sonoridades sobre música erudita ycontemporânea. En el tiempo que me sobra ilustro para dos grandes editoras deBrasil con regularidad.
Woody Allen

fragadesenhos@gmail.com
http://www.flickr.com/photos/fragadesenhos

Nasci em setembrode1968 no Sul do Brasil .
Sou ilustradore caricaturista premiado em salões de humor nacionais e internacionais. Desde1996, trabalho com ilustração editorial para o Jornal Zero Hora (PortoAlegre/RS) e ainda encontro tempo para ilustrar livros, revistas e campanhaspublicitárias.
Além disso mededico a um projeto paralelo de pesquisa em pintura.
PrincipaisPrêmios:
1994 -1º lugarcategoria pintura - no Salão Latino Americano de Artes Plásticas de Santa Maria- Santa Maria/RS - Brasil
1998 - 1ºlugar na categoria cartum no Salão Universitário de Humor de Piraciaba -Piracicaba/SP- Brasil
2001 -1º lugarna categoria História em Quadrinhos no Salão Nacional de Humor de MontesClaros/ Montes Claros - Minas Gerais - Brasil.
1º lugar no XSalão de Desenho para a Imprensa na categoria Caricatura com o trabalho “OliverKahn” - Usina do Gasômetro - POA/RS - Brasil.
2º lugar nacategoria Caricatura no 2º Salão Nacional de Humor Carlos Drummond de Andrade,- Museu de Itabira, Itabira/MG-Brasil
2003- 1º lugarna categoria caricatura com o trabalho“Mike Tyson”.no
30º SalãoInternacional de Humor de Piracicaba- Piracicaba/SP-Brasil
1º lugar nacategoria Caricatura com o trabalho “Frida Khalo” no XI Salão de Desenho para aImprensa
Usina doGasômetro - POA/RS-Brasil.
1º lugar nacategoria caricatura de Herbert de Souza
no XXI doSalão de Humor do Piauí - Teresina - Piauí/Brasil.
2004- 3º lugarna categoria Caricatura com o trabalho “Chico Buarque” no
XV SalãoCarioca de Humor - Casa de Cultura Laura Alvim/Funarj -
Rio deJaneiro/RJ-Brasil
1º lugar nacategoria caricatura com o trabalho “Nestor Kirchner”
no VI FestivalInternacional de HUmor e Quadrinhos de Pernambuco.
3º lugar noCERTAMEN INTERNACIONAL BIENAL DE CARICATURA Y DIBUJO HUMORÍSTICO 2004 doAyuntamiento de Santa Cruz de Tenerife (Espanha)
2005 - 1ºlugar na categoria caricatura com o trabalho "Carlos AlbertoParreira" no 18º Salão de Humor de Volta Redonda/RJ - Brasil.

Comments: Post a Comment

Links to this post:

Create a Link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?